Um grupo de representantes de caminhoneiros autônomos foi chamado na noite deste domingo (26) ao Palácio do Planalto para se reunir com integrantes do governo.

Camarotti: Temer deve anunciar redução de R$ 0,46 no diesel por 60 dias

Na última quinta (24), o governo e entidades da categoria apresentaram uma proposta de acordo para suspender a paralisação por 15 dias.

O grupo chamado neste domingo participou das negociações, mas não assinou o texto apresentado e foi chamado de volta para uma nova conversa.

Ao contrário das expectativas do governo, os caminhoneiros não deixaram as rodovias. Diante disso, o presidente Michel Temer autorizou o uso das Forças Armadas para desbloquear as estradas e editou um decreto permitindo ao governo assumir o controle de caminhões.

A paralisação dos caminhoneiros chegou ao sétimo dia neste domingo, provocando uma crise de desabastecimento de combustível e alimentos.
Exigências

Entre as exigências do grupo chamado ao Planalto neste domingo está a edição de uma medida provisória (MP) sobre o preço mínimo de frete. Há, atualmente, um projeto na pauta do Senado que trata deste assunto e pode ser votado esta semana.

No entanto, os caminhoneiros exigem que o tema seja decidido por medida provisória, uma vez que, publicada no “Diário Oficial da União”, a MP tem validade imediata de lei.


Compartilhar:

Deixe seus Comentario